Monday, July 09, 2007

OS MEUS PRETENDENTES

Na Segunda, vem o João
Engatatão
Conversas fiadas, te quero miúda
Sem ti não vivo, não sou nada
Um planista, um intrujão
E leva logo uma tampa, leva um não!

Na Terça vem o Manuel
Montão de namoradas
Montão de apaixonadas
E falas mansas, falas em mel
Não me inspira confiança
Manuelito não me inspira segurança

Na Quarta vem o Pedro
Garganta inflamada em conversas
Garganta inflamada em promessas
Não perdes nada
Dou-te universos e galáxias miúda
Pedro tem massa, Pedro tem dinheiro!

Na Quinta vem o Toninho
Um cavalheiro
Em falas discretas em carinho
E ternura
Falas discretas em doçura
Um cavalheiro em bolsos magros de dinheiro!

Na Sexta vem o Victor
Olá querida, olá amor
Conversa astuta, conversa ágil
Victor é imbumbável*, gosta de boa vida
Víctor é imbumbável, gosta de boa bebida
Victor, o imbumbável, gosta de vida fácil!

Ao Sábado vem o Quim
De poucas falas em sua timidez
E fala-me sincero no olhar
Fala-me sincero no conversar
Quinzinho inspira-me confiança, talvez …
Quinzinho mexe comigo, talvez… o sim!

Ao domingo descanso
E penso
Penso Manuel, Pedro, Toninho, Victor, João…
Humm, Não!
Depois, depois penso Quim
E logo-logo estremece-me o coração. Talvez… o sim!

Na Segunda vem o Bento
Conversas de casamento
Na Terça vem o César
Quer amigar
Na Quarta vem o Valter
Amo-te, ficas a segunda mulher …


Ao domingo, descanso e penso Quim
Talvez… o sim!

Quinzinho quer dar alambamento,

Vou aceitar!

Décio Bettencourt Mateus
in "Os Meus Pés Descalços"

*Imbumbável: que não trabalha

7 comments:

NAMIBIANO FERREIRA said...

"Victor é imbumbável, gosta de boa vida
Víctor é imbumbável, gosta de boa bebida
Victor, o imbumbável, gosta de vida fácil!"
Gostei deste recriar linguistica a partir de bumbar, ca estamos nos angolanos a criar palavras novas dentro da lingua portuguesa padrao. Nao se podia mesmo dizer que ele era "intrabalhavel". Kandandu meu mano!

Decio Bettencourt Mateus said...

Namibiano: Obrigado por tua agradável visita e comentário. Com efeito, o português angolano é riquíssimo em palavras novas algumas das quais desfilam já nos dicionários mais actualizados da língua portuguesa. A nós, fica reservado o papel de divulgarmos estas palavras, fruto da criatividade das nossa gentes criadoras!

Um kandandu

ANA MATHAYA said...

Olá Décio! Essa Luanda que nos acolhe paradoxalmente nos separa! Tenho ainda (vergonhosamente) o livro a entregar-te, roubando-nos assim a chance de muitos outros trocar. Por falar em livros, está a berta a feira (é feira??) de literatura e música no CEFOJOR. Vemo-nos lá? assim evito o João, O quinzinho e outros tantos imbumbáveis!!!(rssss)

Decio Bettencourt Mateus said...

A.Mathaya:Muito agradável receber tua visita e teu comentário. Muito te agradeço. Concerteza o motivo CEFOJOR será muito bom para trocarmos alguma impressões, lá estarei. E concerteza voltarei a exercer aquela velha pressãozinha habitual: para quando o lançamento do teu livro?

Um kandandu

Andarilha descalça said...

Seus poemas me enternecem.Parabéns pelo blog. Te apresento minhas desculpas pelo equívoco em meu blogg com a postagem de um poema que não era de sua autoria. Confesso que recebi por e-mail e não resisti em postá-lo. Já desfiz o engano apesar de não ter descoberto a autoria. Retirei-o do blog e peço permissão a vc para postar um poema seu intitulado :Instantâneo de Semáforo.Abraços.
Andarilha descalça

andarilha@hotmail.com

Decio Bettencourt Mateus said...

Andarilha: Obrigado pela visita. Obrigado pelo elogio. Concerteza que tem a minha autorização para postar o poema solicitado e outros que eventualmente sejam do seu agrado. Devo dizer que gostei do seu blog e do nome "Andarilha descalça"! Muito bonito.

ANNA MATHAYA said...

Décio???!!! luanda nos une e desune... ainda tenho seu livro... bjs