Tuesday, November 24, 2009

O SILÊNCIO DAS GENTES

Um silêncio e passos d’homens importantes
Ecoam chão de mosaicos
Poc, poc, poc…ecos
E fatos enfatados
E engravatados
D’homens importantes que as gentes!

Um microfone num discurso sábio
Regado de palavras sábias
O silêncio cúmplice dos dias
No silêncio do silêncio
Das gentes cansadas das oratórias
E discursos de hipocrisias!

Uma torrente de palavras rechonchudas
Um desfile de sapiência
Em gravatas abastadas
As minhas gentes caminham mudas
E desesperam paciência
Na dor do alvorecer de madrugadas!

Quem compra os espinhos das gentes
No suor da caminhada?
Passos d’homens arrogantes
Ecoam mosaico d’estrelas
Eu rezo as velas
Das gentes perfiladas nas estradas!

As minhas gentes suam injustiça dos dias
E dor das noites silenciadas
Magricelas
No palácio das estrelas
Gravatas abastadas
Festejam hipocrisia de palavras sábias!

A minha noite adormece entristecida
Na cobardia da gente emudecida!


Décio Bettencourt Mateus.

Luanda, 25 de Julho de 2007.

In "Xé Candongueiro".

9 comments:

nina rizzi said...

como dizem aqui: CARACA. incrivelmente bem-tecido Décio, da poética, a temática. Uma pena a gente ter motivos assim, né. Ainda bem que fica a poesia...

em tempo: tou a ouvir um nigeriano da peste.

beijo, e obrigada pelo carinho, visse ;)

Meg said...

Decio,

Este é para mim, meu caro. Vai Ter o mesmo destino que o Discurso... espero que mo permitas.
Adorei, é escusado dizer...
Na mouche!

Um grande abraço

Fatima said...

E e este silêncio se ouve no mundo inteiro meu amigo.
Bjs.

Fatima said...

Mudou o blog todo heim moço!
Ficou ótimo, agora tem até sua imagem e seguidores.
Bjs

Decio Bettencourt Mateus said...

Meg amiga. Não precisas permissão, tens luz verde. Só precisas escolher e levar. E eles (os poemas) vão felizes.

Obrigado. Um kandandu.

Decio Bettencourt Mateus said...

(Me)nina: carinho. Muito carinho para ti. E obrigado.

Decio Bettencourt Mateus said...

Oi Fátima amiga; digamos que actualizei um pouquinho "Mulembeira".
Você é sempre bem-vinda.

Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA said...

Já estávamos com saudade de uma boa leitura. Demorou mas veio cheia de estilo, como diriamos, cheio de excelente banga poética, meu mano. Adorei cada verso e saboreei como se fosse maboque... crítica excelente, palavras usadas com mestria: enfatados, palavras rechonchudas (amei), gravatas abastadas, Eu rezo as velas. Nao tarda muito vai para Cores e Palavras ou Ixiangola.

Kandandu

Decio Bettencourt Mateus said...

Mano Namibiano: gostei das palavras que na verdade servem de estímulo. "O Silêncio das Gentes" irá, concerteza, feliz quando solicitado pelo mano. Obrigado.

Kandandu.