Thursday, May 23, 2013

O TRUMUNO!

Pés voam descalços
o quente d’areia
trumuno o jogo da bola
que gira e rola
pernas marotas riscam espaços
em bolas apressadas de meia.
  
Correrias em pernas loucas
cololas, cabritos
fintas e trucas
na disputa da bola
na fuga à escola
a garotada feliz aos gritos.
  
Dribles, fintas e truques
em pernas craques
o mundo na garotada
em peitos suados de fora
a escola à espera
o velho em fúrias de porrada.
  
Nos pés do maestro
mestria no passe ao companheiro
o maestro finta e escova
enfia na ova
do defesa
o maestro finta e chuta p’ra baliza.
  
Uaaá! Uaaá! Chulipas, quinhões e cabritos
brigas e porradas
cafriques
quedas e truques
acode, acode, é batota, é batota. Apitos,
algazarra na garotada.
  
– Oh!, saudades! Eu nas pernas da garotada
no peito da miudagem
a fazer vadiagem
a correr descalço um campo d’areia;
depois o medo a tareia
eu em medo, o velho e a porrada!
  
Eu no trumuno do futebol
É golo! Golóóóóóóóóóóóóóóóóóó!
 
   
Décio Bettencourt Mateus
       
in Gente de Mulher
     
Luanda, 05 de Setembro de 2006.

2 comments:

NAMIBIANO FERREIRA said...

Mano, poema vivo a fazer lembrar os tempos de candengue!!! Até faz bailar sorrisos....

Kandandu

NAMIBIANO FERREIRA said...
This comment has been removed by the author.