Wednesday, December 30, 2009

Catê 2010!

Mulembeira deseja-vos um 2010 robusto de saúde, sonhos, ânimo e perseverança. Os complementos – sucesso por exemplo – virão, naturalmente, por acréscimo. Agradece também, de coração, os votos de ano novo recebidos.

Alegra-se muito pelas vossas visitas e/ou comentários, pelo que tremendamente agradece – graças aos quais, Mulembeira preserva. Deseja que esta cumplicidade poética e amizade continuem em 2010 e muitos outros afora.

E despede-se de 2009 com mais um poema de “Xé Candongueiro”, que Décio Bettencourt Mateus dedica à sua cara-metade, a Eva Fraio.

Kandandu e catê 2010!



AS ONDAS DO NOSSO MAR
À minha esposa, Eva Fraio.



Depois da salgadura
Das praias da ilha do nosso mel
N’algumas ondas do nosso mar
Um sopro de brisa a cantar
Um cântico afável
De amores e ondas de doçura!

Depois duma fúria d’enchente
A protestar rochas
E areias e conchas
No lago do nosso mar
Uma calmaria d’horizonte
A apascentar nossas águas a marejar!

E um bater d’ondas tranquilo
Na ilha do nosso Mussulo
A espumar amores pitorescos
Nas areias da praia
Das pedras da nossa baía
Um bater de cânticos românticos!

E serei os trajes do rei-sol majestoso
Nas ondas do teu mar
A navegar e arfar
Desejos e gozo
De estrelas-do-mar e luas
Nas ondas femininas das tuas águas!

Serei a doçura da salgadura
E bravura
Das ondas do nosso rio
Um murmúrio
D’amor a sussurrar
Coisas d’arco-íris nas ondulações do teu mar!


Décio Bettencourt Mateus

In Xé Candongueiro!

Luanda, 26 de Outubro de 2007.

6 comments:

NAMIBIANO FERREIRA said...

Bom ano novo para ti e toda a familia, a nossa amizade humana e poética continuará... pelos tempos fora, longevidade de welwitschia na mistura de imbondeiro.
Lindo esse poema, tenho a certeza que a amada gostou.
Lindo teu poema meu mano,
"Serei a doçura da salgadura
E bravura
Das ondas do nosso rio
Um murmúrio
D’amor a sussurrar
Coisas d’arco-íris nas ondulações do teu mar!"
Décio Bettencourt Mateus
Cate 2010, meu mano!

Moacy Cirne said...

Pra você também, meu caro,
um 2010 maravilhoso.
E que belo poema, hem?

Kandandu/abraço.

Fatima said...

Que Deus abençoe seu ano com muita paz, amor e saúde.
Bjs querido.

Meg said...

Amigo Decio,

Um belíssimo ano para ti, atrasado mas com muita força... acredita!
O poema é uma ternura, o que não é de estranhar em ti.
Obrigada por seres meu amigo e espero continuar a ser recebida neste espaço com o carinho de sempre. A minha casa é tua, como de todos os amigos.

Um grande abraço

Soberano Canhanga said...

Caro Décio,
Quero agradecer a visita que me fez,o comentário deixado e ainda o facto de teres adicionado o meu link na tua página. Actos de muita grandeza de sua parte. E mais, seguindo o mesmo trilho, cá encontrei "aulas" de poesia.
Cá voltarei mais vezes, com certeza.
Abraço dum kuanzasulino que quase ficou caluanda (neguei. rsrsrsrs).

Decio Bettencourt Mateus said...

Soberano Canhanga: é muito benvindo à Mulembeira. Estou igualmente agradecido. Devo dizer que tem um nome atractivo!