Tuesday, February 23, 2010

DEBITAS-ME SILÊNCIOS…

Debitas-me silêncios
E reticências…
Quando na dureza da voz macia
Dos teus lábios
Ornamentas flores e lavras
No silêncio das tuas palavras!

Debitas renúncias
E crucificas-me as mazelas:
Teu olhar fala-me paisagens
Rosas e margens
A brincarem às estrelas
Quando finges silêncios e reticências…

E na dureza da ausência
Um sopro distante
Angustiante
Um silêncio de melancolia
Na voz da noite do luar
Uma eternidade nos dias a folhear!

Debitas-me silêncios
E açoites de negativas
Em palavras altivas
À noite murmuras balbucios
Ao frio d’almofada
E lamurias nossa paixão crucificada!

Asseveras-me a justiça
A transbordar motivos mil
Flechas e açoites
No mistério do frio das noites;
Uma taça
E champanhe: a noite convida-nos dócil!


Décio Bettencourt Mateus

in "Xé Candongueiro".

11 comments:

Salvador d'Almeida said...

gosto da forma como escreves, não debitas silêncios, creditas as palavras.

Decio Bettencourt Mateus said...

Salvador: Mulembeira alegra-se com a tua visita e teu comentário elogiante.

Tua visitas são benvindas.

Kandandu (abraço).

NAMIBIANO FERREIRA said...

Mestria neste poema!!!
Kandandu

Decio Bettencourt Mateus said...

Thanks Namibiano.

NAMIBIANO FERREIRA said...

Aiue meu mano!!!
A cada dia more in love with Xé Candongueiro!!!
Kandanduééééé

Decio Bettencourt Mateus said...

Namibiano: fico feliz. Muito feliz mesmo. No final das contas escrevemos e ansiamos que o nosso produto seja agradável e útil.

Kandandu.

Moacy Cirne said...

palavrivências,
paisagens.
verbovivências,
silêncios.

José Sousa said...

Que bonito este poema...
Gostei mesmo!

Kandando

Decio Bettencourt Mateus said...

Obrigado José Sousa. De considerações elogiosas se alimenta também a alma criativa do poeta.

Kandandu.

Odete said...

Adorei a sua escrita. Poemas lindos, de uma grande vivência e sensibilidade!...
Gosto muito dos escritores africanos, talvez porque também eu tenha vivido os melhores anos da minha vida em Angola...
Posso partilhar alguns dos seus poemas?
Kandandu

DECIO BETTENCOURT MATEUS said...

Odete: muito agradecido. Concerteza que sim, pode partilhar os meus poemas. O prazer é meu.

Kandandu