Monday, April 19, 2010

SÃO PEDRO NA SUA INOCÊNCIA…

São Pedro na inocência
Das alturas dos céus
Desvenda véus
Vaidades
E intranquilidades
De fatos e gravatas de importância!

São Pedro na abundância
Dos céus das alturas
Desenrosca torneiras
E ordena águas:
A minha cidade um mar de lagoas
E enxurradas de putrescência!

Os pés encardidos andantes
Nas pernas das gentes
Marcham palmas
Chafurdam lamas
E galopeiam riachos e pântanos
De corroídos abandonos!

Caminhares lamacentos
Arrastam lamaçal d’avenidas
Enlameadas
A minha cidade jardim de desencantos:
Gravatas luzidias
Mentem o anoitecer dos dias!

Águas e lamas pastosas
Molestam casas
Vozes vomitam lágrimas
Mãos à cabeça lamuriam problemas:
É que São Pedro na sua inocência
Desnuda vergonha d’apetências!


Décio Bettencourt Mateus

in Xé Candongueiro.

Luanda, 6 de Dezembro de 2007.

4 comments:

Fatima said...

Belíssimo, amigo!
Bjs.

Decio Bettencourt Mateus said...

Fátima: Mulembeira se alegra com as tuas visita e comentários.

Kandandu.

Meg said...

Décio,

Mais um poema belíssimo que fala de "coisas" que tanto nos dizem!
Um dia vou querer comprar um livro teu.Diz-me como.

Um abraço

Decio Bettencourt Mateus said...

Olá Meg: és sempre bem vinda à Mulembeira. Bem vamos fazer com que "Xé Candongueiro" voe até a tua casa. Vamos fazer isso sim senhor!

Kandandu.